Robotização de ações manuais

Ultimamente, devido a fortes pressões internas, a necessidade por redução constante de custo e otimização de pessoal, tem sido muito frequente. Diversos fatores contribuem para que os departamentos apresentem orçamentos mais enxutos, sem qualquer perda na eficácia e eficiência.

Tem-se que fazer mais com menos.

A demanda por informações e atualizações sempre aumenta. A concorrência está cada vez mais forte e pressionando os clientes a trocarem de fornecedor com ofertas tentadoras. Assim com a empresa em que trabalhamos age desta maneira, os concorrentes tentam fazer o mesmo. Mas como ser eficiente na oferta e conseguir oferecer custos compatíveis?

Basta uma rápida olhada na história recente e veremos como os processos e métodos de trabalho se modificaram. Quem nunca viu ou ouviu algo sobre o famoso filme estrelado pelo Chaplin, onde ele aparece apertando parafusos num processo produtivo de automóveis. Passados pouco mais de 50 anos, quantas pessoas existem numa montadora apertando parafusos? Seria possível imaginar o custo de montagem de um veículo naqueles moldes?

 Embora pareça desumano, quantas pessoas estão sendo utilizadas nas empresas fazendo trabalhos repetitivos, estressantes, que não agregam nada de novo e, por todos estes motivos, sujeitos a falhas? Quantos relatórios são produzidos com a execução de transações no ERP para montagem de uma planilha, porque um gerente ou diretor precisa da informação para uma reunião? Tem que ser rápido é o que se ouve!

Avalie então o ambiente de TI. Quantas atividades são executadas e quantas pessoas são envolvidas, as vezes para atender a um único chamado (ticket)?

Ainda olhando para a história bem recente, quantas pessoas trabalhavam no departamento de faturamento para digitar as notas fiscias? Quantas notas são digitadas manualmente hoje? Ainda existe o departamento? E estes funcionários, para onde foram?

Como o tempo transcorrido, é um caminho sem volta.

Não há o que fazer. A modernidade, e esta constante exigência por ter que fazer mais com menos, faz parte da base das empresas.

Vejam que não falamos em demissão, mas na realocação das pessoas. Quem executa atividades repetitivas devem começar a olhar melhor como podem evoluir no nível de conhecimento. Quem não pensar na evolução natural das coisas estará com sérios problemas para conseguir novas colocações no mercado de trabalho!

A NAI-IT, com a oferta do bot.M, não pretende tomar o posto de nenhum funcionário da empresa, mas ser uma possibilidade real para que a empresa possa robotizar qualquer atividade que seja repetitiva, que demande ações corretivas ou preventivas mapeadas ou que possam ser identificadas e direcionadas (com controle) para que alguém execute.

Ao invés de passar horas olhando monitores de desempenho, receba pronto a análise e faça a correção. Ao invés de ficar executando inúmeras transações no ERP para obter resultados e colocar numa planilha, tenha a planilha com todos os dados obtidos e apenas melhore a apresentação visual.

Se você é de TI e sabe como executar um processo de análise de um log com problema, não precisa ficar procurando o log com problema. Receba este log e faça a análise.

Quanto tempo pode ser economizado e quantas correções poderão ser mais eficientemente realizadas neste formato?

Se não reduzir custo direto, haverá uma economia sentida com uma rápida solução. Já imaginou se esta análise de log evitar que a empresa fique 1 hora com o faturamento parado?

Pode gerar redução de custo direto? Provavelmente não, mas evitará uma perda significativa de dinheiro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *